quarta-feira, 30 de junho de 2010

A Grande Deusa, um Espelho de Prata

Amores,
Hoje estava lendo um livro que me acompanha algum tempo e que ultilizei muito nos trabalhos com mulheres... rituais de evocação ao feminino... há uns três anos tive a oportunidade de conhecer Mirella Faur em um Seminário Mundial da Paz aqui em Floripa, e participei de um ritual de mulheres. Foi maravilhoso participar de um círculo de mulheres e ver o poder da Grande Mãe! No " Anuário da Grande Mãe" de Mirella Faur ela sita o Mandamento da Deusa:
"Eu,  que sou  beleza do verde sobre a Terra, da Lua Branca entre as estrelas, do mistério das águas e do desejo no coração dos homens, falo à tua alma: desperta e vem a mim, pois, sou Eu a alma da própria natureza, que dá a vida ao universo.
De mim nasceram todas as coisas e a mim, tudo retorna.
Ante meu rosto, venerado pelos Deuses e pelos homens, deixa tua essência se fundir em êxtase ao infinito.
Para me servires, abra teu coração à alegria, pois, Vê: todo ato de amor e prazer é um ritual para mim.
E a ti, que buscas me conhecer, eu digo: tua busca e teu anseio de nada te servirão sem o conhecimento do mistério de que se aquilo o que procuras não encontrares dentro de ti mesmo, jamais o encontrarás fora de ti. Pois, vê, sempre estive contigo - desde o começo - e sou aquilo o que se alcança além do desejo".
 Doreen Valiente

Os povos antigos consideravam que cada dia era uma oportunidade de festejar um envento, celebrar um acontecimento, ou simplismente agradecer as divindades pela própria vida. Por trinta milênios foi a deusa a figura predominante nas mais diversas religiões, em várias partes do mundo, se celebrava a Deusa e suas inúmeras manifestações. Mesmo que na história houve a substituição dos calendários lunares pelos solares, a subjugação e aniquilação das sociedades matrifocais, a força do feminino resistiu e a deusa voltou a ser lembrada e celebrada...
Devemos olhar a lua e cultuar a Grande Mãe...

Invocação à Lua
Senhora do Céu da Noite, salpicado por estrelas,
Guardadora dos nossos sonhos e visões.
Mostre-me como transformar os sonhos em realidade
E como viver bem minha verdade.
Ensine-me a usar minha força de vontade
Para recuperar meu antigo poder.
Revele as minhas facetas de sombra e de luz
Para assim alcançar a totalidade.
Mãe, ensine-me a ouvir minha voz interior,
Silenciando o turbilhão da mente
E escutando teu chamado no pulsar do meu coração.

Queridos, olhar a lua...
e olhar pra dentro... ouvir o coração!


Um beijo de luar,

Qora Coração Aguilar

Onde dança a essência Aguilar...

sábado, 26 de junho de 2010

Todos Índios, Todos Irmãos!

Quanta Luz! Quanto amor irradiante nesse Inti Raymi!

Nossa festa do Sol esse ano superou,pra variar, todas as expectativas. Estavam ali muitos irmãos, muitos anjos, muitos seres de luz, plasmando um grande mergulho na nossa essência amorosa de guerreiros! Todo o ayllu era pura luz... e o nosso clã Aguilar? Nem se fala!

Começamos muito bem no primeiro dia, sexta-feira. Chegamos no hotel e nos acomodamos. Nos encontramos todos no salão, onde um portal foi aberto e todos pudemos entrar, um a um, sendo limpos pela compaixão dos guias... Nosso mestre deu um belo sat sang, o pessoal de Fortaleza fez a apresentação de boas vindas e foi dado início ao nosso encontro...

Naquela mesma tarde, Ayllumpíadas! As modalidades entre os clãs eram Corrida de Revezamento, Passo do Puma modalidade duplas e Passo do Puma modalidade clã. Na rapidez das pernas ganharam os Dédalos (fizeram o melhor tempo, haha!), mas adivinha quem ganhou a modalidade Passo do Puma!? Ha! Só deu Aguilar na cabeça. Pude compensar a desfeita do ano passado (perdemos feio para os clãs da terra) fazendo um par altamente sintonizado com nossa amada Artemisa, que me ensinou todos os macetes para um passo do puma perfeito. Quem quiser ver e aprender o passo do puma, basta clicar aqui (Passo do Puma com Munay Flores).

Ainda na noite do primeiro dia, pudemos desfrutar das apresentações dos clãs. Abrindo a rodada estávamos nós, que surpreendemos mostrando o nosso lado intrépido, alegre e expansivo! As águas das tormentas, dos mares bravios... as marés incontidas da alegria! De dentro de cada Aguilar saiu um lindo e inocente clown... alguns se transformaram em fadinhas, outros em duendes, outros em coringas! Foi uma apresentação muito tocante e alegre, ao som de Singing in the Rain. Saquem só Artemisa jogada nos braços de Rosa Mendizabal, e Mercedes conduzindo a loucura sagrada mais abaixo...


No sábado demos continuidade às atividades e o momento mais emocionante foram os nascimentos... Nesse Inti Raymi nasceram Marina e Mercedes, duas queridas, carinhosas, profundas... Parabéns amadas!
Depois, ainda de quebra, descobrimos que a filhota de Mercedes, Luana, também é Aguilar... (talvez isso explique porque nos demos tão bem!)... Quantas crianças luminosas fazem parte do nosso clã! Também são Aguilar: o filho de Jazmin Luz Obelar, Francisco Sol e o filhote de Arthur Dédalos e Selene Cruz, o Luquinhas.
À noite assistimos as apresentações dos demais clãs que ficaram para o segundo dia e todos se emocionaram com a peça da Escola de Valores.

No domingo, último dia, todos nos levantamos antes do sol nascer e nos reunimos na praia para o pago ao amor divino de Pachamama e Tayta Inti. Sempre é um momento muito emocionante, ver todos os clãs reunidos, de poncho, na beira-mar, recebendo os primeiros raios do sol... Sintam esse momento sagrado, queridos... Rampo, Tayta Inti!

À tarde encerramos as atividades do encontro com nossos corpos plenos de luz, nutridos de amor e devoção. Reafirmamos ali o nosso compromisso com a vida e a nossa sagrada Mãe. Somos guerreiros de luz e o nosso mantra é: VENCEREMOS!
Façamos essa palavra ecoar em nossas vidas, no nosso coração, em tudo o que fazemos: VENCEREMOS!
Nessa foto pouco antes do jogo, quase todos os Aguilar presentes: ao lado de Mama Isolda Molina, nossa aboela Amanda Luz, Qora abraçada com Lucidor, Quimey Cacho, Artemisa e Marina; embaixo às esquerda Dana, Cristiano com sorriso de noiva e Gopala. Nessa foto ficou faltando Mercedes, que nessa hora estava a cuidar de sua pimpolha. 
É isso... ao final, ficou a promessa de reencontro ano que vem, aqui em Fortaleza, no VII Inti Raymi! Quem veio já confirmou presença... quem não conseguiu vir, que tal se juntos encontrarmos uma forma de plasmar esse sonho ano que vem? A casa desse compadre está aberta a todos vocês, amados... sempre!
Um grande beijo, ainda flutuando em nuvens...


quinta-feira, 17 de junho de 2010

Visita à casita...




Continuando a saga dos Aguilar no sul...

Qora, Cristiano e Dana no Encontro das Águas em São Lourenço/RS.

Após o Encontro das Águas, Qora, Dana Aguilar e eu tivemos a oportunidade de ficar mais alguns dias pelo Rio Grande do Sul, hospedados na casa de nossa hermanabuela Amanda Luz em Pelotas. Lá visitamos a Feira do Doce, saímos para tomar uma cerveja, ouvir música e rimos muito! No dia seguinte nós três acordamos pela manhã com o sol ainda frio e meditamos... mergulhamos no templo que há dentro de nós e fomos ao encontro do nosso nutridor e animador, o deva Ahadriel.
Dana, Qora, Amanda Luz e Cristiano no Tulia, Pelotas

Depois de meditar, fomos acordar a abuelita - que deixamos dormindo de propósito. Contamos até três e pulamos na cama dela! Ah... ficamos ali um bom tempo, conversando e nos abraçando debaixo da coberta! Como é bom receber um cariñito de família... Tomamos um café da manhã reforçado e partimos em peregrinação por Pelotas. Descobrimos muitos recantos verdes, uma atmosfera de cidade mas também de paz. Pachamama nos abraçava. Com a ajuda de um mapa que a abuelita nos deu, procuramos a casita de Mama Isolda e Lucidor. Depois de uma boa caminhada chegamos lá... "Meu Deus! Será que vamos acordá-los?" resolvemos arriscar e logo Mama Isolda nos abriu a porta com um sorriso imenso, em seguida veio o maestro.

Ele nos falou sobre o ayllu, um intento de luz para plasmar na terra um novo jeito de viver, em amor fraterno com toda a existência. Nos contou da importância de darmos importância a nossa família andina, pois somos uma semente de amor - somos os primeiros do novo tempo! Explicou que o ayllu é um octaedro que se manifesta nos planos sutis, envolvendo a nossa América na energia do amor e da liberdade que emana da chakana dourada. Daí a importância de cada clã irradiar a sua energia para Pachamama, pois cada um se complementa e juntos formamos um todo Uno de extrema luz. Valoremos os momentos que passamos juntos, por mais triviais que aparentem ser. Sorrisos, brincadeiras, estórias, abraços e gargalhadas são mais que mera interação social. Ao convivermos amorosamente, criamos vínculos. Nascem ali fios de luz que nos unem uns aos outros, formando uma teia de amor e amizade que eleva a nossa energia para níveis mais sutis e carinhosos... Pouco a pouco, vamos plasmando nosso Asharam... primeiro em planos sutis, amorosamente e muito em breve materialmente, como pudemos sentir na casita, o asharam de Pelotas.
Pedimos para tirar uma foto com nosso mestre, a qual ficou de recordação daquela conversa tão gostosa, desfrutando da companhia do nosso inspirador e animador, Lucidor Flores.
Desde esse triângulo de Pachamama, irradiamos a todos vocês do Ayllu Mística Andina a nossa amizade sincera e amor puro pela vida e por vocês...

Com amor,

domingo, 13 de junho de 2010



De ceniza es la Luna: Gris e inhóspita, yerma.
Qué sencillo es amar donde sólo hay ausencia.
Cómo se ama la vida cuando duele su pérdida.
Ya no sufro, no obstante, de alegría o tristezas.
Desde aquí veo la vida con mirada más neutra.
Quiero ser hoy tan libre como yo pueda o sepa.
Cuánta paz aparenta, en su azul luz, la Tierra.

Elio Milay

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Peregrinos das águas

Amados irmãos!
Compartilho com vocês um pequeno vídeo de três intrépidos Aguilares, felizes se aventurando pelas estradas do sul: Dana, Qora e eu. Estávamos saindo de Pelotas, rumo a Porto Alegre, com escala em São Lourenço do Sul para dar uma carona ao dono do carro: Pancho Dédalos, o nosso querido Gallo Pinto! Sintam a alegria que é desbravar os caminhos de Pachamama, peregrinos atentos e amorosos... vivos!
Um grande abraço de quem os espera,

Cristiano Aguilar




Minha vida é andar por esse país
Pra ver se um dia descanso feliz
Guardando as recordações
Das terras onde passei
Andando pelos sertões
E dos amigos que lá deixei
Chuva e sol
Poeira e carvão
Longe de casa
Sigo o roteiro, mais uma estação
E alegria no coração...
(Vida de Viajante - Luiz Gonzaga)

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Peregrinação

Peregrinar é muito diferente de viajar.
Aquele que viaja traça roteiros, faz planos e sempre tem em mente o objetivo de se divertir ou relaxar... com menos sorte, se viaja a trabalho! No entanto existem viagens em que não programamos bem as nossas rotas e nem fazemos planos... o único objetivo é a viagem em si, pois passear por Pachamama é uma fonte de prazer inesgotável! A essas viagens atentas, conscientes, onde percorremos caminhos de luz, chamamos de peregrinação.
No final de semana passado tive a oportunidade de descobrir recantos de Pachamama que nunca antes havia percorrido. Belezas naturais distintas do que estou acostumado a ver, campos e árvores que pareciam saídas de uma pintura... E nesse cenário encontrei as mais diversas criaturas, pessoas tão diferentes - cada uma com seu jeitinho, enroladas em agasalhos - e ao mesmo tempo tão unidas no mesmo propósito. Pude experimentar o amor e a hospitalidade do povo do sul, e qual foi a minha gratidão em poder amá-los e receber tanto carinho de família, de irmão!
Aaron Molina, Alethéia Iriarte, Sarita Mendizabal, Frida Dédalos e Cristiano Aguilar.
Cheguei na sexta-feira pela manhã e lá encontrei Alethéia Iriarte. Um abraço forte e demorado foram as minhas boas vindas à terra gaúcha. Porto Alegre estava nublada (contei 4 camadas de nuvens enquanto o avião descia), e na noite daquele dia choveu muito. Choveu tudo o que as nuvens tinham para chover, porque - como vocês vão ver - não havia nenhuma nuvem sequer no céu nos demais dias... Curtimos o chamego da casita de Aaron Molina e Alethéia muito bem acompanhados de Sarita Mendizabal e Frida Dédalos. Foi conversa até entrar a madrugada: estórias, mokos a perder de vista e muitas risadas, ah, quanta alegria reunida!
Clã Aguilar reunido: Selena, Dana, Sofia, Marina, Diana Ma, Qora, Amanda Luz, Iago e os compadres (na frente) Cristiano e Quimey Cacho.
Compadres em loucura sagrada!
Na manhã seguinte nos levantamos com as galinhas, o céu ainda escuro e Ayka Cruz já buzinava na portaria! No carro: eu, Ayka e Fridinha. Destino: São Lourenço do Sul! Um nascer do sol mágico nos escoltava, e a estrada adiante parecia um corredor mágico onde íamos penetrando terra adentro, indo mais fundo, ao encontro da Mamita. Mal sabia eu o que me esperava lá! Quando cheguei no sítio dos escoteiros, onde todos esperavam, encontrei a família Cruz reunida, assim como os Dédalos e também os Aguilar. O Grande Encontro das Águas era uma realidade e estava acontecendo! Fiquei especialmente emocionado por encontrar lá o meu compadre amado, Quimey Cacho Aguilar e as três irmãs de Floripa: Dana, Qora e Selena. Meu coração sorri!
Frida Dédalos, Ayka Cruz e Cristianos (Cruz e Aguilar) atrepados numa figueira no arroio.
Fiquei um pouco mais em São Lourenço e no dia seguinte curti a companhia maravilhosa de Matias Dédalos e sua amada, Mama Afrodite, Magdalena Cruz e Mel, o querido Pedro Obelar, Pancho "Galo Pinto", Marina , Diana Ma Aguilar, o xará Cristiano Cruz... e todos que decidiram ficar um pouco mais. Fizemos uma linda meditação na beira da lagoa, muito intensa e emocionante! Coloco aqui uma fotita irradiando para a Lagoa dos Patos ao lado das comadres Durga Cruz e Frida Dédalos.
No último dia fui a Pelotas e lá dormi na casita de nossa aboela Amanda Luz Aguilar, juntamente com as irmãs Qora e Dana (linads! adorei saber que estão a caminho do Inti Raymi!) de Floripa. Como soubemos da chegada do mestre fomos fazer-lhe uma visita e conhecemos o ashram de Pelotas: a casita. Infelizmente não consegui colocar fotos, mas a conversa que tivemos com o mestre foi muito esclarecedora... Precisamos abraçar a nossa missão sem medo, com compromisso e consciência! Estamos dentro de uma família que nos dá alegria e força e isso é para que evoluamos, cumprindo o plano de Deus na Terra!
Viva a Pachamama!
Viva a consciência!
TODOS ÍNDIOS!
TODOS IRMÃOS!
RUMO AO INTI RAYMI!

Cristiano Aguilar