quarta-feira, 31 de março de 2010

A Grande Invocação


Páscoa é ressurreição, e nos mostra a entrega e a confiança de Cristo no plano de Deus. E Cristo sofreu e renasceu para os homens. Somos homens de boa vontade, filhos de Deus, e estamos em uma senda sagrada que, através da unidade grupal, está caminhando com amor rumo ao oásis do coração, sempre.
Este é um período onde devemos recitar com mais fervor a Grande Invocação, que é uma oração mundial, um instrumento para ajudar a plasmar o plano de Deus na terra.
Suas estrofes compreendem os aspectos da vida divina, tratando da mente, com a luz para trazer clareza aos homens, do amor, sem egoísmo nem apegos, amor compassivo, amor à essência divina em cada um de nós, sem a ilusão da separatividade, e da vontade, com o alinhamento dos homens com a vontade de Deus, desde o grande vazio, que a verdade absoluta seja alcançada, com a confiança no propósito maior. Estes três pontos, a mente de Deus, o amor e a vontade de Deus são levados à efeito pela ação da humanidade, para que consigamos fechar a porta onde habita o mal, uma vez que teremos trabalhado o ódio, a agressividade, a separatividade, os egos e, assim, o plano de Deus na terra será restabelecido, através da luz, do amor e do poder!
Que Cristo renasça no coração de cada um de nós!
Rosário Aguilar

A GRANDE INVOCAÇÃO

Do ponto de Luz na Mente de Deus
Flua luz às mentes dos homens.
Desça Luz à Terra.
Do ponto de Amor no Coração de Deus
Flua amor aos corações dos homens.
Volte Cristo à Terra.
Do centro onde a vontade de Deus é conhecida
Guie o propósito as pequenas vontades dos homens -
O propósito que os Mestres conhecem e servem.
Do centro a que chamamos raça dos homens
Cumpra-se o Plano de Amor e Luz.
E cerre-se a porta onde habita o mal.
Que a Luz o Amor e o Poder restabeleçam o Plano de Deus na Terra.

terça-feira, 30 de março de 2010

Diários de um aspirante

Faz muito tempo venho sentindo a aproximação do amor.

E então eu era um menino solto num terreiro, investigando formigas em busca de um tesouro. Mamãe tinha dito que as formigas são muito ricas e que por isso elas não amanheciam mortas, como as cigarras. Hoje sei que sou meio cigarra. Menino solto, muitas trilhas eu encontro, quantas formigas! Pedaços de pétalas, folhas, um grão de arroz... Perseguia feliz as filas tão organizadas, soltando risos de ansiedade, sabendo que uma hora eu descobriria para onde todas as formigas vão. Cadê, cadê? Um trilha se juntava a outra e logo eu estava andando em círculos...

Foi assim com o amor.

Amor de dois mesmo, aquele amor que cantaram os poetas e do qual morreram julietas e romeus. Um grande místério sobre o qual não se ensina, só se aprende. Que não se controla, só se entrega. Que não tem explicação, é feito de pura magia. Onde não há corridas e sim danças. O amor que faz as flores se abrirem e nos faz jurar que ouvimos violinos... Ah, o amor. Que convite irresistível... Observar formigas. E contemplá-las, respeitosamente, por saberem onde se encontram os grandes tesouros.

Cristiano Aguilar


segunda-feira, 29 de março de 2010

A inofensividade

"A não-violência não pode ser definida como um método passivo ou inativo. É um movimento bem mais ativo que outros que exigem o uso das armas. A verdade e a não-violência são, talvez, as forças mais ativas de que o mundo dispõe." (Mahatma Gandhi)

A não-violência ou inofensividade é uma forma de ser e viver que busca a ação amorosa através de bons pensamentos e uso correto da palavra. Não significa passividade, muito pelo contrário precisamos estar atentos ao momento para que sejamos inofensivos, agindo com o coração, sendo parte de um grupo, participando com responsabilidade e serenidade.
Quando vemos uma borboleta voando, em sua leveza e liberdade, sentimos dentro do nosso coração um chamado a estarmos presentes, como um sino que nos faz parar e voltar ao momento presente.
Pela atenção plena aos nossos pensamentos, palavras e ações vamos buscando trazer a inofensividade às nossas vidas e ao mundo que nos cerca, produzindo ações amorosas que refletirão em toda a Pachamama!
Rosário Aguilar

sexta-feira, 26 de março de 2010

Canção da Terra (Earth Song) - Michael Jackson

O vídeo é do single de maior sucesso de Michael Jackson no Reino Unido, que não foi nem "Billie Jean", nem "Beat it", e sim a ecológica "Earth Song", de 1996. A letra fala de desmatamento, sobrepesca e poluição, e, por um pequeno detalhe, talvez você nunca terá a oportunidade de assistir na televisão: "Earth Song" nunca foi lançada como single nos Estados Unidos, historicamente o maior poluidor do planeta. Por isso a maioria de nós, brasileiros, nunca teve acesso ao clipe. Ou seja, o que não passa nos EUA, não passa em grande parte do mundo. Só mostram o que lhes interessa, e só assistimos o que eles querem. Veja, então, o que os americanos nunca mostraram de Michael Jackson.Filmado na Africa, Amazônia, Croácia e New York.
Emocionante!


Apesar da óbvia supressão do vídeo, apesar de tão aclamado em outros países desenvolvidos que não os Estados Unidos, há quem diga que ele não foi censurado. Pergunto então: por que uma reconhecida obra-prima não ganhou prêmios no seu país de origem? Por que ninguém lembra de ter visto esse vídeo-clipe?

quarta-feira, 24 de março de 2010

Lua cheia de Áries - Festival da Ressureição

Um dia, um grande rei atacou uma cidade com milhares de seus soldados, mas não conseguiu conquistá-la. Ordenou a seus homens que se retirassem. Eles recuaram duas milhas e o rei sentou em sua tenda, pensativo: "Por que não consegui conquistar a cidade com o grande poder que tenho?"
No teto da tenda, uma pequena aranha tecia sua teia. Com sua espada, o rei cortou a teia; alguns minutos depois, entretanto, a aranha havia recomeçado a tecer e, mais uma vez, o rei desfez a teia. Enquanto descansava, notou que a aranha voltara e havia recomeçado o seu trabalho. Pensou: "Se uma aranha é tão perseverante, por que abandonei o campo de batalha? Vamos atacar de novo a cidade." E assim conseguiu a vitória.

Fomos ensinados a "lutar e a permanecer em nosso ser espiritual", e a manter essa atitude durante o dia. No caminho do discipulado, o sucesso não é tão importante; o que importa é o esforço. Enquanto lutamos, pensamos: "Falhei mil vezes, mas desta vez vou conseguir".
Da mesma maneira, no caminho da ressureição, vencemos nossos inimigos - a morte, o medo e o ódio - através da perseverança. Em cada estágio de vitória criam-se uma nova civilização e uma nova cultura. Assim como o Fogo Interior progride de um reino par ao outro, o campo de contato de uma pessoa se expande e, finalmente, toda a sua existência se torna um campo de atividade. Isto é "a vida mais abundante" de que falou Cristo.

*trechos do livro Sinfonia do Zodíaco, de Torkom Saraydarian.

terça-feira, 16 de março de 2010

Diários de um aspirante

É fácil viver com os olhos fechados
entendendo errado tudo o que você vê...
-John Lennon

Todos os dias de manhã eu acordo e cumprimento o dia: me levanto de um pulo, como se a noite tivesse sido um piscar de olhos. E quase foi. O corpo denuncia a falta de carinho, a falta de descanso. Ainda estou cansado.
Rua.
Trabalho.
Ponto.
Uma, duas, três, quatro horas... meu Deus, até que enfim!
Rua.
Pedala, pedala!
Biiiii-biiiiii!!!
Ufa!
Viver se assemelha agora a uma maratona. A única em que se corre em várias modalidades simultaneamente e o mais importante é não chegar por último. Cansaço, cansaço. Gasto todas as minhas energias para caber no molde. Está em tempo de entrar no ritmo! Se você não acordar, o mundo vai te deixar para trás, viu?! Preguiçoso! Cansaço, cansaço.
O juiz da cabeça anuncia a sentença: culpado! Você está cansado! Pena de prisão perpétua aos modelos da sociedade e à felicidade fabricada! Estorvo!

A minha redenção: entender que o que vejo não é o que é, que as coisas estão sim erradas e que muita gente não sabe. Tranquilizar o meu peito e o meu pensamento, não, não sou um monstro. Eu não respondo por culpa alguma por não me encaixar, por não compactuar, por não tomar jeito. Me aceito. Respiro, respiro. O mundo não é o que eu quero. Está tudo bem. Está tudo por fazer. Está tudo por reinventar. Estou chegando, e chegou a hora do velho partir.

Cristiano Aguilar

segunda-feira, 15 de março de 2010

Aprendizado...

Vamos pela vida, seguindo sempre, e em contínuo aprendizado... com desafios cada vez maiores e mais complexos, e cabe a nós, somente a nós determinarmos os nossos tempos. O trabalho de abrirmos o coração e reconhecermos a presença do mestre é um caminho de muitas surpresas, a partir do momento que nos entregamos, começamos a viver de maneira consciente, descobrimos outras nuances no mundo. Passamos a trilhar um caminho onde o eu, meu, muda para nós, nosso, e deixamos de ser um para ser parte do todo.



Sentir a integração com toda a existência no início assusta, depois realmente sabemos que é verdade, que tudo é um, que quando expiramos, Pachamama está inspirando e quando inspiramos, recebemos a expiração de Pachamama, e tudo flui como tem que ser, tudo está exatamente no lugar onde tem que estar. E vamos seguindo nesse aprendizado, conscientes de que precisamos uns dos outros, como gotas de água que se juntam para formar um rio, um oceano, bah! A imensidão de um oceano, conseguimos ver o todo, o difícil é enxergarmos as gotas separadamente, mas sabemos que estão ali, assim nós, com a nossa participação no grupo, cada um fazendo a sua parte para juntos trabalharmos para plasmar o plano de Deus na terra. E o nosso grande aprendizado é reconhecermos a nossa essência amorosa, é sentir que o amor é o caminho a ser trilhado, que estamos aqui para amar, amar...mas um amor sem julgamentos e cobranças, sem possessividade, um amor livre, um amor que não se mede, que o coração se expande e se integra e reconhece dentro de cada ser a divindade, a luz.



Que a luz de cada um de nós brilhe cada vez mais junto com a luz de nossos irmãos e que jamais deixemos de aprender, de buscar o amor!


Rosário Aguilar